14 maio 2007

Novo Blog

Faz exatamente um ano que eu engravidei. Minha filha fez três meses ontem – meu primeiro dia das mães!

Depois de nove meses alisando minha própria barriga, e mais três me surpreendendo positivamente com o que saiu dela, resolvi criar um blog comemorativo. Batizei o diário com o bordão “Leve um casaquinho!” – mais maternal é impossível.

Você, que vem sempre aqui e já está careca de me conhecer, não vai estranhar a nova casa. É minha paixão velha: a crônica. E a nova: a Lara.

Visite, divulgue, convide os amigos. Avise as moças que estão esperando bebê – que tragam suas barrigas para enfeitar a bodega!

E nunca, jamais esqueça: Leve um casaquinho!

12 maio 2007

10 maio 2007

Supermãe, eeeu?

Fiz um teste na internet para ver que tipo de mãe eu seria/sou/serei, resultado: superprotetora.

Terapia, rápido. (Para mim agora ou para ela depois).
Sem noção

O Papa já chegou apoiando a excomunhão dos políticos mexicanos que votarem a favor da legalização do aborto. Enquanto isso, na Câmara, Clodovil xinga uma deputada dizendo que ela não serviria para ser prostituta porque é feia.

Deus que me perdoe, mas o Papa entende tanto de humanidade quanto o Clodovil conhece as putas.

07 maio 2007

Bolando as trocas

Com bebê em casa a gente dorme pouco. Dormindo pouco pela primeira vez na vida, pude comprovar o que os neurologistas dizem sobre a importância do sono para o funcionamento do cérebro.

Aqui em casa estamos bolando as trocas, ops!, trocando as bolas.

- Vamos mamar depois que ela almoçar? (Esse tipo de gafe é rotina).

Outro dia eu me esqueci de pagar o cartão de crédito no vencimento. NUNCA esqueço! Sou mão-de-vaca e não pago multa de atraso por nada. Aaaai, como chorei.

Blusa do lado do avesso. Sair de casa e esquecer a bolsa (ufa! Lembrei no elevador). O que foi mesmo que eu vim comprar na farmácia? Qual é o seio que eu dou agora?

Isso que nem podemos reclamar. Dias depois de completar dois meses ela já dormia quase a noite toda, dando intervalos de 6 horas entre a última mamada da noite e a primeira da manhã. Agora, quase com três meses, os intervalos chegam a 8 horas. Camarada!

Mesmo assim, é diferente. Usa-se mais espaço no “disco rígido” para guardar as coisas do bebê e dorme-se menos do que antes. O resultado é um atrapalhamento constante. E também uma paranóia desmedida.

Ontem, na casa da minha mãe, Lara dormia no quarto enquanto nós conversávamos na sala. Claro, portas abertas. Passou um carro na rua e deu uma buzinada estridente – pois eu dei um pulo achando que era ela chorando, e logo depois me dei conta do mico...

Para evitar esquecimentos, peguei mania de anotar tudo. Anoto os horários das mamadas, anoto quando terei que passar o leite da mamadeira para o congelador (o leite materno vence em 24h). Anoto as perguntas para o pediatra. Anoto quando ela fez cocô verde. Quando não dormiu direito (e por quê). E, naturalmente, anoto o que precisamos comprar.

E ponho tudo nos bolsos, para não correr o risco de ser pega desprevenida na rua.

Agora, adivinha se eu não saio com a calça errada!!!

05 maio 2007

No tanque

As roupas dessa menina encolhem muito rápido!

No salão

- Você tem filhos? Ainda não, né, tão novinha...
Sorrio.
- Tenho, sim! Uma menina de dois meses e meio!
- Nossa! Mas nem parece que passou por um parto!!
Sorrio.

Ganhou gorjeta de pedicure de centopéia.

No jornal

O Garotinho, a fim de criticar o atual governador, pôs no seu blog versões do jornal O Globo “editadas”. Na cara dura, puxou as notícias de violência para a primeira página e deu destaque de manchete.

Libertinagem de imprensa?